Responsável por coordenar o investimento social do Grupo Telefônica no Brasil, a Fundação Telefônica acaba de incorporar oficialmente o Instituto Vivo, passando a se posicionar como Fundação Telefônica|Vivo. O processo de integração das instituições ocorreu em decorrência da compra da Vivo pelo Grupo Telefônica, no final de 2010.

Diante disso, a atuação social da Fundação ganha novos contornos em 2012. A instituição passa a priorizar quatro linhas de ação: Combate ao Trabalho Infantil, Educação e Aprendizagem, Desenvolvimento Local e Voluntariado. Todas elas contam com o suporte do eixo denominado Debate & Conhecimento, cujo objetivo é sensibilizar, mobilizar e disseminar conhecimento entre os públicos envolvidos com as causas da instituição.

Uma das estratégias da Fundação Telefônica|Vivo neste ano será a implementação de projetos em pequena escala, que servirão como laboratórios de inovação social a serem replicados. “A partir da obtenção de bons resultados, a ideia é disseminar metodologias entre parceiros para a obtenção de ganho de escala”, afirma a presidente da instituição, Françoise Trapenard, que pretende, também, estabelecer alianças com o governo e outros agentes sociais no processo de ampliação dos projetos.

Ao incorporar as ações do extinto Instituto Vivo, a Fundação, que até então atuava basicamente no Estado de São Paulo, passa a ter projetos em todo o território nacional. Além disso, planeja lançar mão do uso mais intensivo de tecnologias, colaborando para uma sociedade mais conectada e fomentando redes colaborativas em torno de suas ações. Para isso, contará com a capilaridade que a empresa passou a ter por todo o país, em virtude da compra da operadora móvel.

Fonte: Fundação Telefônica