Terão início na quarta-feira, dia 9, em João Pessoa, as atividades da Caravana do Nordeste contra o Trabalho Infantil previstas para a Paraíba. A iniciativa faz parte do projeto de fortalecimento dos Fóruns Estaduais das regiões Norte e Nordeste e das redes municipais de atenção à criança e ao adolescente das duas regiões, formulado pela Fundação Telefônica|Vivo em conjunto com o Instituto Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Inpeti).

A Caravana já passou pelo Ceará, Maranhão, Piauí e Rio Grande do Norte. O objetivo é coordenar, juntamente com os fóruns estaduais, ações de mobilização, como campanhas, discussões pela Internet e realização de caravanas pelas cidades, visando à sensibilização da opinião pública.

Em João Pessoa, o Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil programou para o dia 9, a partir das 14h, a realização de uma audiência pública, no auditório Desembargador Francisco Floriano da Nóbrega Espínola, no Fórum Cível. Já no dia 10, às 16h, está agendada audiência com o governador Ricardo Vieira Coutinho, no Palácio da Redenção, com a presença de adolescentes, representantes dos Fóruns Estadual e Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Para o dia 11, entre 8h e 11h, está prevista a realização de um grande encontro da Caravana, no Ginásio Poliesportivo do Colégio Marista Pio X, no Centro, que terá a participação de representantes do Ministério Público do Trabalho, da Secretaria Estadual de Educação e do juiz coordenador da Infância e Juventude, Fabiano Moura de Moura, entre outros. A atividade contará com a presença de 1.500 estudantes das redes de ensino pública e privada.

As ações promovidas pela Caravana do Nordeste contra o Trabalho Infantil podem ser acompanhadas pela Internet por meio da Rede Pró-Menino, da Fundação Telefônica|Vivo (www.promenino.org.br).

Diagnósticos e planos de ação

O projeto da Fundação Telefônica|Vivo prevê apoio a 16 fóruns estaduais entre 2012 e 2013, envolvendo 236 organizações que os compõem, além de 32 autoridades públicas e 160 crianças e adolescentes que participam dos eventos. A expectativa é de que os Estados se mobilizem para mapear e construir diagnósticos do trabalho infantil nas diferentes localidades, a fim de organizar planos de ação para enfrentar o problema.

O trabalho infantil afeta grande número de crianças no Norte e Nordeste do país. Segundo dados da PNAD de 2009, um total de 756.590 crianças entre 5 e 14 anos estava trabalhando nas duas regiões naquele ano, sendo 608.896 no Nordeste e 147.694 na região Norte. Entre as principais atividades desempenhadas pelas crianças estão lavoura, pecuária, serviço doméstico e comércio.

O Combate ao Trabalho Infantil é uma das vertentes da atuação da Fundação Telefônica|Vivo. A instituição atende diretamente a mais de 15 mil crianças e adolescentes no Brasil.

Fonte: Fundação Telefônica|Vivo