Com o objetivo de resgatar brincadeiras de infância sul-mato-grossense, o Pontão de Cultura Guaikuru em parceria com o Espaço Imaginário e o apoio da Fundação Telefônica|Vivo lançam no dia 20 de abril, em Campo Grande, o Projeto Memórias do Futuro – Olhares da Infância Brasileira.

“O objetivo é que, através de produções audiovisuais, os 20 jovens participantes do projeto pesquisem, registrem e documentem brincadeiras e hábitos de crianças, além dos relatos dos pais, avós, educadores e pesquisadores sobre as brincadeiras de sua época”, explica Lia Mattos, coordenadora pedagógica do projeto.

O Memórias do Futuro está entre os oito projetos selecionados pela Fundação Telefônica|Vivo no ano passado, para apoio na área de cultura digital. “Quando recebemos esse projeto, o universo do brincar nos encantou duplamente. A proposta trabalha na perspectiva da ludicidade do mundo digital, ao mesmo tempo em que resgata as brincadeiras tradicionais.”, explica Mila Gonçalves, gerente de Educação e Aprendizagem da Fundação Telefônica|Vivo. “Além disso – afirmou – o projeto eleva os jovens a produtores de conteúdo na web e nos permite mapear  competências desenvolvidas fora do contexto escolar, fruto da relação desses jovens com as novas tecnologias”.

Os participantes foram selecionados em diferentes comunidades, organizações não-governamentais e pontos de cultura de Campo Grande, Amambai e Corumbá. “O Memórias do Futuro reúne jovens que representam a realidade sociocultural de Mato Grosso do Sul, para que compartilhem vivências de suas comunidades e expandam o conhecimento para além de suas fronteiras. Nessa diversidade é que reside a riqueza”, argumenta Andrea Freire, coordenadora artística do projeto e coordenadora do Pontão de Cultura Guaikuru.

Além de contar com a produção dos jovens que iniciam no projeto, o acervo também poderá receber colaborações dos demais internautas interessados.

Enriquecendo o olhar

Os jovens participaram de uma semana de oficinas sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação, produção, técnicas de filmagem, sensibilização para a cultura da infância e do olhar. A próxima etapa será de pesquisa dos jogos e brincadeiras, para então iniciarem a produção de vídeos e textos.

Com o resultado de toda a pesquisa e produção audiovisual dos jovens, o projeto entra em uma nova fase, a Caravana Tecnobrincante. “A Caravana vai ser uma exposição multimídia em eventos de interação com alunos e educadores de escolas, o público em geral e artistas do projeto em espaços públicos, com as atividades realizadas e as brincadeiras pesquisadas pelos meninos e meninas. Passará por Corumbá, pela Aldeia Indígena em Amambai e também por Campo Grande”, explica Lia.

Além disso, todo o conteúdo gerado pelos jovens participantes do projeto será disponibilizado em um banco de dados virtual para que educadores e jovens de todos os lugares possam compartilhar da pesquisa, da produção e dos resultados do projeto. O banco de dados estará disponível no portal do projeto,www.memoriasdofuturo.com.br. Também haverá um blog, o https://blogmemoriasdofuturo.blogspot.com.br onde os adolescentes vão compartilhar suas vivências e descobertas.

Fonte: Fundação Telefônica|Vivo