A ONG Thydêwá, em parceria com a Cardim Projetos e com o apoio da Fundação Telefônica |Vivo e do Fundo de Cultura, vinculado à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, apresenta neste Dia do Índio o projeto OCA DIGITAL. O objetivo da iniciativa é promover inserção digital de crianças e jovens Tupinambá de Ilhéus (BA), por meio do desenvolvimento de atividades de arte e tecnologia.

A apresentação ocorrerá durante a semana de 16 a 19 de abril, nas celebrações do Dia do Índio, que ocorrerão em diversas localidades de Ilhéus, Valença e também pela Internet. O projeto, que já começou e será realizado por dez meses, se propõe também a registrar, resgatar e divulgar a história e a arte Tubinanbá, com vistas à valorização da cultura indígena na sociedade brasileira. Para isso, são utilizadas ferramentas como celulares, mídias locais e a própria web.

Os conteúdos e produtos gerados estão sendo disponibilizados em site (www.ocadigital.art.br), blogs e redes sociais, com licenças copyleft, ou seja, livres para utilização. “A cada ano que passa, a troca de costumes entre povos se intensifica e, assim como a rede de dormir indígena está nas casas de muitos brasileiros, o acesso à internet começa a chegar nas aldeias”, afirma Sebastian Gerlic, presidente da ONG Thydêwá.

Uma das ações é a realização de oficinas gratuitas de arte e tecnologia junto a 10 jovens Tupinanbá, mais um índio residente convidado de outra Nação. Eles aprendem a fotografar com celulares, utilizar GPS para mapear a aldeia, desenhar e scannear, modelar, compor mensagens artesanais digitais para baixar nos aparelhos móveis, imprimir camisetas, além de criar motivos temáticos para wallpaper de telas digitais, entre outras coisas. Além disso, durante as oficinas, os jovens aprendem a usar softwares livres que estão acessíveis e podem ser instalados em computadores da escola e outros espaços de inclusão digital que eles frequentam, como as lan-houses.

Além disso, 500 crianças e adolescentes da Escola Indígena Tupinambá receberão aulas de informática e serão alfabetizados digitalmente, tendo a Arte Digital como temática. “O objetivo é que os participantes criem, com seu olhar, novas formas de arte, que misturem tecnologias artesanais e digitais, valorizando, assim, sua identidade”, enfatiza Gerlic.

O Oca Digital está entre os oito projetos selecionados pela Fundação Telefônica|Vivo no ano passado, para apoio na área de cultura digital. Segundo a gerente de Educação e Aprendizagem da instituição, Mila Gonçalves, a escolha do Oca Digital se deu porque o projeto faz o uso de tecnologia, tanto no suporte, quanto na linguagem como ferramenta de resgate e valorização cultural entre o público infanto-juvenil.

O lançamento do Oca Digital ocorrerá durante atividades na Fundação Cultural de Ilhéus, nos dias 16, 17 e 18,  das 09:00 às 17:00 hs, e na sede da Thydewa, no dia 19, em Olivença, das 09:00 às 19:00.

Fonte: Fundação Telefônica|Vivo