Desde o início do ano, com as fortes chuvas que castigaram o Espírito Santo, mais de 12 mil pessoas foram impactadas no estado. De acordo com informações da Defesa Civil Estadual, até o fim de janeiro foram contabilizados cerca de 300 desabrigados, mais de 3 mil desalojados, 90 pessoas feridas e em torno de 1.700 edificações danificadas.

Para ajudar as vítimas de municípios atingidos, foi realizada uma campanha de arrecadação entre os empregados. “A mobilização foi feita com a participação de todas as diretorias, assim, tivemos pontos focais na Ferrovia, nos Portos, no CSC, no Parque Botânico, no CPD, na DIPE. Buscamos locais como os prédios administrativos e restaurantes, para ampliar a possibilidade de doação”, disse Wilson Torres, voluntário do Comitê de Vitória.

A união dos voluntários resultou em 1.634,4kg de alimentos, roupas, itens de higiene pessoal e limpeza, e até um carrinho de bebê. Serão doadas ainda 10 cestas básicas, que serão acrescentadas ao material doado, que vai ser encaminhado para Santa Leopoldina, município próximo da capital capixaba.

Para o sucesso da ação, foi essencial a participação de voluntários como Gleidiane Gregório, técnica em Segurança do Trabalho da contratada Dregremont. “Quando recebi o convite para atuar nesta campanha fiquei muito feliz.  Atuei na parte de transporte das caixas aos postos de coletas e na montagem dos kits, e espero participar de outras ações desenvolvidas pelos Voluntários Vale”, disse. Os voluntários foram responsáveis pelas atividades necessárias para que as doações chegassem àqueles que precisam.“Atuamos em diversas frentes: na divulgação da campanha, entrega e coleta das caixas e mercadorias, busca de embalagens, transporte, separação e envio dos materiais”, afirma Rachel Fanti, analista administrativo do CSC.

Para Rachel, a experiência traz a satisfação de ser útil a quem precisa, além de despertar uma reflexão sobre o próprio trabalho voluntário. “Estamos sempre na correria e, ao nosso lado, vemos tanto problemas crônicos. Pessoas sem o básico, comida, moradia, educação, infraestrutura  de base. É o momento de pensarmos: Como podemos dar nossa contribuição de forma mais ampla, de forma sustentável?”, indagou.

Fonte: Voluntários Vale